Como é o clima em Santiago?

O Chile é um país com as estações do ano bem demarcadas, por isso, dependendo da época que estiver aqui, pode se deparar com um verão bem caloroso ou até mesmo com a neve. Sério! O melhor é que em qualquer época do ano há pontos turísticos e passeios incríveis. Ou seja, não importa quando vier, você vai vivenciar experiências inesquecíveis. Para quem está pensando em visitar o país, aqui estão outras características importantes, principalmente de Santiago, são elas: o clima seco, a água com muitos minerais, os raios ultravioletas mais fortes e a altitude dos Andes. Vou explicar um pouco sobre cada uma delas. 😀

Tempo seco

Santiago fica em um vale em meio a duas cordilheiras, a dos Andes e a da Costa. Praticamente cercada, há pontos positivos e negativos em estar “aprisionada”. O positivo é a vista, independente de onde você estiver, terá a visão de uma das cadeias de montanhas. Imponentes, principalmente para quem vem como turista e não está acostumado, é de tirar o fôlego. O ponto negativo, há a questão da dificuldade da circulação de ar. Então, toda a poluição produzida na cidade mais populosa do país, acaba parada, sem poder dispersar. Inclusive, dependendo do dia, se você subir em algum ponto alto da metrópole, como o Cerro Santa Lucia, o San Cristobal ou o Sky Costanera, poderá ter a visão da cidade parcialmente bloqueada pela poluição. Outra questão é que a corrente de ar que chega do sul do pacífico e que poderia trazer a umidade para Santiago, é bloqueada pelas cordilheiras e não alcança a região. Portanto, para quem está acostumado com um clima mais úmido, pode sentir a pele mais ressecada e, para quem tem rinite ou sinusite, fica aí um alerta. A dica é trazer um hidratante para garantir que o ressecamento não va te incomodar e seus apetrechos para regular problemas de saúde que se agravam com o tempo seco.

Água com muitos minerais

Uma curiosidade é que aqui chove muito pouco. Se você está acostumado com locais como a cidade brasileira de São Paulo, por exemplo, terá a impressão de que não chove em Santiago. Vejam a diferença, comparando o índice de mm de chuva nessas duas cidades. Em São Paulo, a mínima de precipitação é de 36mm e a máxima é de 237mm. Já em Santiago, a mínima é de 1mm e a máxima é de 86mm. Então a pergunta é, como Santiago tem sua água abastecida? Bem, em sua maioria, por água de degelo das Cordilheiras, que corre pelo Rio del Maipo. ~ Aliás, a lagoa de degelo da represa que fica nos Andes é um dos pontos mais visitados, o Embalse el Yeso, veja mais aqui. ~ Voltando a água, há minerais presentes, como cálcio, magnésio, cloro e flúor. E, apesar da água da torneira ser potável, para quem não está acostumado, o gosto pode ser um incômodo. Por ser potável, não é comum encontrar bebedouros em locais comerciais, então, se você não gostar do sabor, se prepare para comprar bastante água. Outra diferença que você pode sentir é na hora do banho, uma impressão como se o sabão não ensaboa e isso se dá por conta desses minerais também. Nesse caso, não se preocupe, pois apesar disso, o efeito do sabão não muda, seu banho está garantido.  

Raios ultravioletas mais fortes

Você já ouviu falar do buraco da camada de ozônio, certo? Então, o Chile é uma das regiões afetadas por ele. A densidade da camada de ozônio na região do Chile é reduzida, isto é, ela se afina e os raios ultravioletas acabam atingindo o país com maior incidência. Por isso, independente da época do ano, quantos dias vai ficar aqui ou se vai estar frio ou calor, a recomendação é usar protetor solar e um óculos de sol com proteção UV todos os dias.

Altitude nos Andes

Já ouviu falar da “doença das alturas” ou do “mal da montanha”? Também conhecida como hipobaropatia, é a sensação que algumas pessoas tem quando estão em um lugar com a altitude muito alta, já que a pressão parcial do oxigênio baixa. Normalmente, o ser humano pode começar a sentir os sintomas a partir dos 2.400 metros. Como os nossos passeios para os Andes ficam a uma altitude acima disso, essa informação é bem importante para você que quer passar ótimos momentos na sua viagem. Para ter uma noção, Farellones, que é uma estação de ski e um parque de diversão (com neve no inverno e na montanha no verão) está a uma altitude de 2.500 metros acima do nível do mar. Já o Valle Nevado, um dos centros de ski mais procurados do Chile, fica a 3.000 metros de altitude. O Embalse el Yeso, a lagoa rodeada por montanhas que já foi citada antes, tem uma altitude de 2.560 metros. Por isso, se atente aos sintomas e como se prevenir. Os principais sintomas são dificuldade para respirar, aumento da frequência cardíaca e cansaço fácil. Algumas pessoas podem ter também dor de cabeça, náuseas e vômitos. Para prevenir, tome muita água, evite comidas com muito sal antes da subida, traga com você comidinhas leves para ir comendo em pequenas porções e, se você já sabe que enjoa em viagens de carro, já tome o famoso dramin antes de partir. A boa notícia é que os sintomas todos passam depois que você descer. 🙂

Agora que você já tem mais informações de como é o clima em Santiago, planeje a sua viagem para que seja o mais tranquila possível. E, lembre-se, faça turismo no Chile com empresas certificadas e bem recomendadas. Nem sempre o turista está 100% preparado para os contratempos, então, uma agência de turismo de verdade, vai te dar todo o suporte necessário. Previna-se de correr riscos e de fazer um passeio sem informação consistente. Feche os passeios com a SnowTours Chile e aproveite a melhor experiência que você possa ter em Santiago.

Suas férias é o mais importante na sua vida, pois casar esses dias de férias com o seu companheiro de viagem, pode custar muito. E cada dia e hora perdido é desperdiçar todo esse esforço que você teve.

 

Fontes:

https://pt.climate-data.org/america-do-sul/chile/region-metropolitana-de-santiago/santiago-938/

https://www.climatempo.com.br/climatologia/558/saopaulo-sp

https://www.eldinamo.cl/nacional/2016/09/15/que-tomas-realmente-cuando-abres-la-llave-para-beber-agua-en-chile/

http://www.ipsnoticias.net/portuguese/2007/01/america-latina/ambiente-chile-vive-altos-niveis-de-radiacao-solar/

https://super.abril.com.br/blog/planeta/solmaforo-mede-incidencia-de-raios-uv-e-alerta-para-risco-de-exposicao-ao-sol/

https://globoesporte.globo.com/eu-atleta/saude/noticia/doenca-da-altitude-causas-sintomas-e-prevencao-do-problema-de-montanhistas.ghtml

 

Por Laura Villas Boas

About Author

client-photo-1
snowtours

Comments

Deja un comentario